VISÕES SOBRE CEMITÉRIO DE PIANOS




TEXTO NA FOLHA DE SALA

Poderá encontrar sete performers-cicerone, seis, cinco, quatro, três, dois ou apenas um, que o conduzirão pela(s) história(s). A instalação encontra-a toda, sempre, alojada em múltiplos nichos de dois espaços inesperados. Munido do roteiro que terá recebido siga-a com o olhar atento de quem vê uma exposição. Deixe-se guiar pelo anfitrião-cicerone que lhe calhou e esteja atento às suas metamorfoses. Poderá descobrir a Mãe (Joana Furtado), o Pai (Emanuel Arada), a Maria/Ana (Patrícia Andrade), a Marta/Elisa (Marta Mendes), o Cigano (José Mateus), o Simão (Bernardo Chatillon), ou o Francisco (Fernando Grilo). Descubra, oiça, leia, e investigue os excertos de texto presentes, alguns bordados. Perceba os símbolos, as metáforas, as actualizações, as VISÕES… sobre CEMITÉRIO DE PIANOS, esse belíssimo romance de José Luís Peixoto, a quem muito agradecemos. Não deixe de visitar os espaços que não fazem parte do seu guião mas não toque nos objectos da instalação. Sinta o mar numa fábrica de costura onde a luz do autor é sempre branca; descubra o ratinho prateado na instalação do escritor; siga as quatro horas de filmagem do nascimento das crias do Drakull e da Rosa em 2006 que homenageiam os partos das cadelas do romance; veja dois esqueletos de piano num telheiro destruído; sinta a pedreira do Cigano, a urina da Marta, a morte do Pai, o banho de Francisco; espreite os objectos cor-de-rosa da terrina da Maria; sofra com o parto da Mãe; descubra as pedras-coração da instalação dos casamentos e a letraB dos padrinhos Belmira, Belarmina, Bartolomeu e Baltazar; desça à dimensão da casa da senhora distinta e sinta o fumo do incêndio, suba ao universo da instalação do planeta; vele a tia morta; desfrute do sexo através das grades do quarto do fundo do canil, sinta a nobreza de Simão e o anjo; oiça o ruído insuportável do ventilador; veja o realçar da cor dos godos que forem regados; desfrute dos automóveis feitos por crianças moçambicanas na instalação do campo da bola e perceba bem os jogadores; descubra quantos bebés há na instalação do hospital; veja os cadáveres de peixe na instalação do quintal, e saboreie a saliva, o sangue, as espinhas. Se não conseguir sentir tudo num só dia não se entristeça, voltaremos a recebê-lo de bom grado, mas apenas entre segunda e sexta-feira. Poderá estar a chover quando atravessar o pátio entre a morgue e o canil, tentaremos abrigá-lo com um guarda-chuva preto antigo. Aproveite para ver as buganvílias que o Horto do Campo Grande nos ofereceu e para se despedir do ESPAÇOKARNART - estará certamente a assistir a um dos últimos espectáculos da KARNART C. P. O. A. A. (ou doutra estrutura) nestas instalações. Mais, estará provavelmente a ver este maravilhoso espaço e as suas belas mesas de mármore pela última vez. 

A KARNART C. P. O. A. A. vai perder o actual ESPAÇOKARNART. Foi acordado em conselho de ministros (Diário da República, 2ª série, Nº 142, de 25 de Julho de 2007, Portaria nº 647/2007) que toda a área pertencente à antiga Escola Superior de Medicina Veterinária será cedida ao Instituto de Gestão Financeira e Infra-Estruturas da Justiça, I. P., para instalar os serviços da Directoria Nacional e da Directoria de Lisboa da Polícia Judiciária. A Faculdade de Medicina Veterinária, nossa tão querida mecenas, foi obviamente obrigada a rescindir o protocolo que connosco mantinha deste 2002. De armas e bagagens nas mãos, em número de associados substancialmente menor do que quando se deu início a esta empreitada artística, com um parco subsídio do Ministério da Cultura de quarenta e cinco mil euros por ano, para onde seguir?

“Eu quero. Eu sou capaz de lançar um grito para dentro de mim, que arranca árvores pelas raízes, que explode veias em todos os corpos, que trespassa o mundo. Eu sou capaz de correr através desse grito, à sua velocidade, contra tudo o que se lança para deter-me, contra tudo o que se levanta no meu caminho, contra mim próprio.” (in Cemitério de Pianos de J. L. Peixoto)

Luís Castro, 8 de Outubro de 2007


FICHA TÉCNICA E ARTÍSTICA

TEXTO
José Luís Peixoto 

DIRECÇÃO, DRAMATURGIA E INSTALAÇÃO
Luís Castro

INTERPRETAÇÃO 
Bernardo Chatillon
Fernando Grilo
Joana Furtado
José Mateus
Marta Mendes
Patrícia Andrade

PRODUÇÃO EXECUTIVA
Vanda Leitão

ASSISTÊNCIA DE DIRECÇÃO 
Rute Rocha 

IMAGEM, GRAFISMO E COLABORAÇÃO PLÁSTICA
Vel Z

CONTRA-REGRA 
Cledna Petrato

SONOPLASTIA
Sérgio Henriques

VOZES GRAVADAS
Catarina Soares
Carolina Soares
Luís Castro

CONSULTORIA MUSICAL
Jorge Rodrigues

TEXTOS BORDADOS
Inês Costa

APOIO AO VÍDEO E SPOT PUBLICITÁRIO
João Correia

APOIO À INSTALAÇÃO
Marco Patrocínio
Lyubomir Markov

AGRADECIMENTOS
Abraão Tavares, Afonso Paes, Albano Barbeitos, Ana Figueiredo, André Amálio, António Calpi, António Cardo, Arlindo Fernandes, Armando Luís, CEM Centro em Movimento, Cláudia Xavier, Cristina Duarte, Diana Castro Fernandes, ESCOLA SECUNDÁRIA CAMÕES, Fernanda Ataíde, Fernando Ferreira, GATO QUE LADRA, AC, HORTO DO CAMPO GRANDE, Isabel Paes, José Bouças, José Luís Peixoto, José Rocha, Leocádia Silva, Luís Firmo, Luís Chaby Vaz, Luísa Alegre, Luísa Arroz, Luísa San Payo, Luz da Camara, Manuela Cortes, Maria Teresa Castro, Mariana Markova, Miguel Costa, Miguel Freitas, Miguel Loureiro, Pedro Barbeitos, Pedro Pulido Valente, Óscar Grave, Rita A. Pereira, Ugo Froes.


A VISÃO DE VÁRIOS FOTÓGRAFOS SOBRE “VISÕES SOBRE CEMITÉRIO DE PIANOS”:



MARTIM RAMOS | Fotografias da Instalação












PAULA PINTO RIBEIRO | Fotografias de Espectáculo






RICARDO BERNARDO | Fotografias de Espectáculo







DE SOUSA | Fotografias de Espectáculo






FILIPE BARROCAS | Fotografias de Espectáculo





MANUELA CORTES | Fotografias Encenadas para Imprensa


Translate