CICLO PASSADO E PRESENTE
2020, Semestre 1 | apresentações no GCK

Com conceito e direcção de Luís Castro, este ciclo de matriz autoral permite a inspiração momentânea e a produção imediata, respondendo ao vivo e no momento a estímulos de ordem social, política ou ecológica. Formado por cinco pequenas peças de perfinst que reflectem um passado e perspectivam um futuro, é o mais aberto dos quatro ciclos e encontra eco em criações passadas como Lopano (2001), Velando (2003), OPNI’s (2006), CAM (2012) ou Quimeras/Idílio (2019).


Entrevista a Luís Castro sobre o "Ciclo Passado e Presente"

A N T E S  E  D E P O I S
25 a 29 de Fevereiro de 2020 às 20h


Aos últimos dias de 2013 e primeiros de 2014 afinavam-se detalhes relativos à cedência pela CML do espaço do Gabinete Curiosidades Karnart, e procedia-se às primeiras visitas de ocupação. O fotógrafo Alípio Padilha foi convidado a registar o início do processo, acompanhando a equipa da KT na primeira entrada de chave autónoma. O processo de reconversão do armazém durou quatro anos – o último dos quais, 2017, a cargo da CML mas sob supervisão da KT. Para além de Alípio alguns dos artistas que com os Associados KT trabalharam voluntariamente entre 2014 e 2016 em prol da recuperação do espaço, bem como os fundadores da estrutura, foram registando em fotografia, vídeo e telemóvel os trabalhos. O Perfinst que a propósito desta memória nos propomos realizar, consistirá numa visita guiada por todo o espaço, na qual e à média de uma por local serão apresentadas fotografias que mostram “o antes” das obras naquele ponto em confronto com “o depois” do momento presente. Esta reflexão permitirá partilhar com o público momentos da história do processo de remodelação (curiosidades como as do carpinteiro furioso, do engenheiro caprichoso, das estagiárias fugitivas) e homenageará toda uma equipa de voluntários, fotografados, que de forma altruísta acompanhou a KT ao longo daquele duro processo.


B O B O
Março, 24 a 28
Este perfinst didático consistirá de improvisações ao vivo regidas pelos espectadores. Um a três performers, adereços, figurinos, caracterização estarão à disposição do público para um trabalho de relação directa em que um espectador escolherá um actor - e um objecto ou peça de figurino - para a respectiva improvisação: terá o bobo às suas ordens.


E U  E  E U
Abril, 28 a Maio, 02
Peça em que Luís Castro apresenta – ao vivo, por intervenção digital ou em filme, e por via da reflexão num espelho vertical alinhado pelo eixo central do seu corpo – dois alter egos, gémeos, sósias, formados pelas duas metades do seu corpo nu, unidas às respectivas imagens. Este conceito permitirá uma reflexão pessoal mas distanciada, e por essa via universal, sobre traços e histórias do “Eu Esquerdo” (feminino, doce, suave, meigo, infantil, mãe, Moçambique) e do “Eu Direito” (masculino, duro, exigente, austero, adulto, pai, Portugal), remetendo para questões de género, identidade, afirmação social, vida. Esta reflexão poderá ser complementada pela leitura dirigida de cadernos de Diário escritos entre 1977 e 2020, e de crónicas registadas nas redes sociais, da autoria de Luís Castro.


C O R P O  V E L A D O
Maio, 26 a 30
Algures entre “A Lição de Anatomia do Dr. Tulp” de Rembrandt (1632, Mauritshuis), “Cristo Velato” de Giuseppe San Martino (1753, Cappella Sansevero) ou “Cristo Yacente” de Agapito Barbany (1872, Museu do Prado), inspirado também em “Velando” ou em “Quimeras/Idílio” que a KT apresentou respectivamente em 2003 e 2019, apresentar-se-á uma instalação cujo motivo principal será um corpo masculino nu deitado inerte sobre uma grande mesa de xisto, coberto com transparências e/ou rodeado por objectos delicados. Uma imensa banda sonora, criada a partir de música clássica, envolverá o ambiente.


______________________________________________________________________________
já realizados


M I S T É R I O  E C O
Janeiro, 28 a Fevereiro, 01
O espaço será, neste perfinst, objecto de visitas nocturnas de atmosfera sombria, envolvência erótica e mensagem ecológica. Recorrendo à ambiência dos filmes de terror ou à dinâmica das “casas de susto” dos parques de diversões, uma excêntrica anfitriã interpretada por Xana Lagusi liderará um trajecto misterioso até ao polo-museu do Gabinete Curiosidades Karnart no qual, por via de peças icónicas da colecção de naturalia da KT, se centrará a narrativa em questões de sustentabilidade, alterações climáticas, extinção de espécies, responsabilidade ecológica, etc.
______________________________________________________________________________


CICLO CIÊNCIA E TECNOLOGIA
2020, Semestre 2 | apresentações no GCK

Com duas criações originais de Vel Z e uma co-criação Vel Z / Luís Castro, este ciclo ancora em temas relacionados com a Ciência e em processos que, à semelhança dos passados (PerfinstMuseum (2013), Hermaphrodita (2015) ou Fogo (2017), recorrem a Tecnologia.

C O R P U S
Junho, 18 a 28
Criação Vel Z. Os espectáculos deste criador sustentam-se na dupla abordagem Corpo-Tela/Objecto-Tela já testada em espectáculos anteriores, e em que imagens de corpos nus filmados em movimento são sobre os mesmos projectadas em tamanho real. CORPUS incorporará o corpo-tela assumindo, em oposição ao seu irmão-gémeo CRATOS (objecto-tela), o lado PERFormance do conceito. Pretende-se com estes espectáculos reflectir sobre a Intemporalidade, a passagem do Tempo, a Arte e a Sexualidade, num espaço que levantará questões de identidade e confronto com a natureza da corporalidade: outra/s criatura/s, outra/s realidade/s, outra/s texturas, outra/s “alma/s”, outro/s eu, outro/s género/s.

O S S O S  D E  C Ã O
Agosto, 25 a 29
Concepção Luís Castro e Vel Z. Ao longo dos 5 dias deste evento – que poderá desenrolar-se nas mesas de pedra que existem no jardim das traseiras do GCK, ou na grande mesa de xisto do polo-museu – o espectador assiste ao revelar do esqueleto de um cão (Drakull, que acompanhou a KT desde 1998) que em 2011 foi enterrado, imediatamente após a sua morte, num grande vaso de terra. Em 5 dias de cerimónia partilhados com espectadores e filmados, os ossos do animal serão libertados e escovados, lavados, limpos, e idealmente montados no seu esqueleto. Deste Perfinst constarão momentos satélite em que os espectadores poderão, a partir de ossos diversos de importância secundária existentes no GCK, criar instalações que admitirão adornos e remeterão para relíquias de primeira classe como as que embelezam algumas capelas fúnebres de países católicos.

C R A T U S
Novembro, 19 a 29
Criação Vel Z. Do ponto de vista do Perfinst este espectáculo objecto-tela assumirá, em oposição ao seu irmão-gémeo CORPUS (corpo-tela), o lado INSTalação do conceito. O material filmado e trabalhado em CORPUS será substracto de CRATOS.

Translate